Mobilidade urbana sustentável: introduzindo o AYR

Hoje, 14 de Maio, o CEiiA apresenta a sua mais recente inovação ao mundo, na New York Smart Cities Summit: a Platforma AYR. O CEiiA é um centro português de engenharia e desenvolvimento de produto, e nós na CLOO estamos a apoiar a equipa na integração de princípios comportamentais no projeto. A plataforma AYR é a primeira plataforma que recompensa os utilizadores por optarem por alternativas de transporte mais sustentáveis. Aqueles que evitam emissões de CO2 ao deslocar-se para o trabalho de bicicleta, scooter ou de carro eléctrico podem ganhar créditos AYR. Esses créditos podem ser trocados por produtos e serviços. Imagine pagar por um delicioso café com AYRs acumulados ao ir de bicicleta para o trabalho de manhã.

A CLOO está a apoiar o CEiiA na integração de ciências comportamentais na plataforma. As pessoas tendem a ter comportamentos menos sustentáveis do que o que idealmente gostariam. Que fatores poderão  evitar com que as pessoas mudem o seu comportamento e se tornem mais sustentáveis – que tomem decisões óptimas do ponto de vista ambiental? A Plataforma AYR do CEiiA tem o potencial para influenciar radicalmente os hábitos diários das pessoas de forma gradual, um passo de cada vez. Na CLOO, temos explorado qual a melhor forma de fazer com que a plataforma motive os cidadãos a ultrapassar os obstáculos à adopção de alternativas mais sustentáveis.

As ciências comportamentais podem ajudar a desenvolver programas e funcionalidades que tenham em conta os comportamentos aparentemente inconsistentes e imprevisíveis das pessoas, e que promovam o envolvimento dos utilizadores e o impacto social. Uma grande parte do trabalho da CLOO é compreender e adaptar contextos à forma como as pessoas de facto tomam decisões. Por exemplo, que hábitos é que as pessoas teriam de quebrar para mudar para meios de transporte mais sustentável? Será que sentem que é socialmente aceitável ir de bicicleta ou scooter para o trabalho? Quais são os viéses e expetativas implícitas das pessoas em relação à mobilidade verde? Será que pequenas recompensas financeiras à escolha de alternativas mais sustentáveis poderão encorajar as pessoas? Ou será que isso teria o efeito inverso para aqueles que já têm comportamentos sustentáveis? Estas são as questões que temos colocado a nós próprios, e que esperamos que apoiem o desenvolvimento do produto. Estamos entusiasmados por continuar a contribuir para a investigação nesta área. Desejamos ao CEiiA a maior sorte na apresentação do AYR ao mundo!