Intervenções para combater LGBTFobia

A população LGBTQIA + é composta por um grupo com novas sugestões de identificações e, além disso, sugerem uma quebra nos padrões sociais, algo que é importante para compreensão sobre a realidade, afinal, pessoas são pessoas e não simples categorias. Para além de “menino” e “menina”, o que mais podemos ser? Uma infinidade de novas construções de gênero surgem a cada dia, pois o estímulo ao autoconhecimento é cada vez maior, gerando assim novas percepções das pessoas sobre elas mesmas. O contato com o diferente é necessário, uma vez que temos dificuldade em imaginar e identificar novas possibilidades sem o contato prévio com essas realidades. Ao sonharmos, por exemplo, nosso cérebro é incapaz de ́ ́ ́imaginar´́ rostos de pessoas com as quais não tivemos contato.

Infelizmente, ainda é comum ouvir opiniões contrárias sobre a diversidade, mas pouco se fala sobre como isso é importante para romper com violências não optativas que a binaridade de gênero impõe a quase todos. Em alguns casos, até mesmo a violência física, social e psíquica é usada para oprimir opiniões favoráveis a essa população. E as ciências comportamentais podem ajudar no combate a LGBTQIA+fobia.

Em um contexto hipotético, um jovem com seus amigos em um café resolvem fazer uma piada com um casal que está na mesa a frente, um atendente percebe e pede educadamente que ele e os amigos se retirem. Pode parecer incômodo pensar em algo do tipo, mas se falarmos que isso pode ocorrer caso qualquer ato LGBTQIfóbico seja proclamado, pode criar um constrangimento e evitar que situações desnecessárias como essas ocorram.

*foto tirada da porta de entrada de uma lanchonete no Porto, postada no perfil de instagram @nolakitchen.porto na data 18/03/2021*

As vezes é necessário transformar a suposição em algo concreto, declarando-se a favor de grupos sociais vulnerabilizados e contra a opressão dos demais sobre eles. Isso pode ser feito através de adesão a campanhas, anúncios no ambiente ou até um simples papel na porta.
Nesse sentido, é importante destacar que tanto nudges quanto intervenções são bem vindos, apesar de haver diferenças entre eles. Nudges são caracterizados como pequenas ações de baixo custo, simples, diretas e efetivas, baseados em conteúdo fornecido pelas ciências comportamentais. As intervenções, por outro lado, apresentam custos variados, de extensão normalmente maior e que, portanto, envolvem um maior esforço por parte das organizações que as implementam. Uma placa com incentivos, como a que vimos acima, pode ser caracterizada como um nudge, enquanto uma grande ação direcionada ao incentivo de banheiros sem gênero normalmente é uma intervenção.