International Youth Day - CLOO

International Youth Day

Hoje, dia 12/08, é comemorado o International Youth Day – Dia Internacional da Juventude. Nós da CLOO entendemos que ser jovem é uma experiência única e diversa, e que depende do contexto cultural, social e econômico em que estamos. Tendo isso em vista, decidimos mostrar a relação entre as ciências comportamentais e alguns dos diversos desafios que envolvem este período.

Pesquisas científicas têm mostrado que alterações simples nos contextos, conteúdos de mensagens e processos que temos contato no nosso dia a dia possuem um potencial enorme para que consigamos incentivar e guiar determinados comportamentos a fim de melhorar as realidades experienciadas, especialmente por jovens.

Nascida a partir da virada do milênio, em 2000, a chamada “Geração Z” já representa 26% da população brasileira¹, somando, globalmente, 30% da população². Jovens com até 19 anos já são um quinto da força de trabalho no planeta e devem se tornar, em até cinco anos, a parcela majoritária da população mundial, superando os millennials, ou “Geração Y”, que atualmente compõem um terço da população global – e são os jovens nascidos entre 1980 e 1996. Estudos mostram que a Gen-Z valoriza a ética ambiental³. Os zoomers tendem a consumir mais de marcas que demonstram propósito e consciência ambientais, inclusive aceitando pagar mais caro por produtos ou serviços em que reconheçam empresas éticas e responsáveis. Caso contrário, preferem até não consumir, buscando alternativas mais sustentáveis.

Estudantes de todo o mundo querem, também, que os lugares em que estudam reflitam seus valores. Isso significa, cada vez mais, assumir posições mais assertivas e conscientes frente às questões ambientais e à crise climática. Vimos isso em uma pesquisa recente da União Nacional, que revelou que 86% dos alunos do primeiro ano no Reino Unido querem suas instituições de ensino incorporando e promovendo ativamente o desenvolvimento sustentável. Isso também foi reforçado em uma Revisão de Princeton⁴. A pesquisa demonstrou que dois terços dos alunos candidatos (ou seus pais) levam em consideração o compromisso de uma faculdade ou universidade ao meio ambiente quando escolhem onde estudar.

Na CLOO, recentemente iniciamos uma iniciativa no contexto universitário chamada de Behavioral Change Initiative, que buscará gerar conhecimento científico com a ajuda da comunidade universitária (estudantes, funcionários e pessoas que fazem uso do campus), por meio de duas frentes: mudanças comportamentais relativas aos protocolos sanitários definidos pela World Health Organization e pela Unicamp e a compreensão acerca de mudanças comportamentais relacionadas ao trabalho remoto, indicando intervenções e políticas que possam melhorar a qualidade de vida das pessoas a partir da colaboração com pesquisadores de diversas áreas.

Nudges são baseados na compreensão das tomadas de decisão da psicologia. Nossos cérebros têm recursos limitados para entenderem um mundo complexo, o que significa o uso de atalhos mentais que tornam nosso comportamento altamente dependente do contexto, por exemplo, “faça o que todo mundo está fazendo” ou “escolha a opção mais fácil”. Pode-se dizer que nudges são uma forma de reestruturar vieses a nosso favor. Muitos dos nossos comportamentos são automáticos, pois tendemos a seguir hábitos e atuamos, na maior parte do tempo, no piloto automático, sob influência do Sistema 1. Com conhecimento desses processos cognitivos, podemos alterar opções (ou seja, realizar pequenas mudanças no ambiente de escolhas padrão), a fim de encorajar certas escolhas, ou podemos projetar explicitamente escolhas para aproveitar e superar vieses cognitivos tradicionais.

Exemplos em contextos similares com foco em Green Nudges (ou nudges sustentáveis) podem envolver a disposição de alimentos mais sustentáveis ​​em lugares de destaque em ambientes escolares/universitários. O mesmo acontece com a inscrição automática de estudantes em um esquema de compartilhamento de bicicletas, independentemente se eles optam por usá-las ou não. Em ambos os casos, essas mudanças simples tornam as escolhas sustentáveis um pouco mais intuitivas, fáceis e comuns⁵.

Esperamos que iniciativas nesse sentido surjam cada vez mais a fim de promover uma sociedade mais justa e com maior equidade para todas as pessoas, especialmente jovens. Isso pode acontecer através da implementação da sigla SAFE. O S, de Social, tem o foco na promoção de ações desejáveis, por exemplo, ao destacar que outras pessoas também estão tomando aquela ação. Também é possível tornar o comportamento publicamente enfático ao viabilizar as oportunidades que ele representa. Dessa forma, o meio influenciará a ação e influência mútua para o bem. O A (Atrativo), por sua vez, parte do princípio de que pessoas são mais propensas a adotarem um comportamento quando esse capta sua atenção ou está alinhado com motivações e crenças pessoais. É possível desenvolver pontos de atenção a partir de dicas visuais particularmente relevantes ou perceptíveis, alavancando a motivação através do destaque dos aspectos positivos ligados à tomada daquela decisão. O F (Fácil) mostra o engajamento de indivíduos no caminho de menor resistência. Portanto, torna-se essencial encorajar comportamentos desejáveis ​​ao remover pequenos atritos ou dificultadores em escolhas ambientalmente desejadas, ou mesmo redesenhar a forma como as escolhas são apresentadas para tornar o comportamento desejável ​​mais atrativo. Tornar o comportamento sustentável a principal opção, removendo barreiras ao processo de tomada de decisão, ou mesmo adicionar empecilhos para impedir que comportamentos insustentáveis tomem conta são ótimas formas de aplicar a letra F. Por fim, a letra E (Econômico) parte do princípio da finalidade proposta pela criação de hábitos. Hábitos saudáveis podem se tornar atalhos para comportamentos sustentáveis duradouros, e por isso Nudges são mais eficazes em momentos de mudanças pessoais profundas. Também temos uma tendência a enfatizar o presente mais do que o futuro. É possível aproveitar essas tendências através de campanhas econômicas em termos de duração, destacando os benefícios imediatos de ações sustentáveis, e ajudando o planejamento com antecedência.

 


¹ Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE)

² Global Demography: Fact and Force, estudo publicado em 2018 pela divisão de estatística da Organização das Nações Unidas (ONU)

³ Estudo conduzido pela consultoria Raddon entrevistou jovens em 12 países da América do Norte, Europa, América Latina e África

⁴ Revisão de Princeton (2020). College Hopes & Worries, Survey Report, 2020. Disponível em: https://www.princetonreview.com/college-rankings/college-hopes-worries

⁵ Vennard, Daniel, Toby Park e Sophie Attwood (2018). Encouraging Sustainable Food Consumption by Using More-Appetizing Language: Technical Note.