ESG Comportamental - CLOO

ESG Comportamental

A sigla ESG vem ganhando cada vez mais espaço nas organizações públicas e privadas. ESG vem do inglês e faz referência às melhores práticas organizacionais nas áreas ambiental, social e de governança (Environmental, Social and Governance).

Os benefícios de adotar políticas de ESG vão desde ativos mais seguros para investidores, passando pelo aumento do bem-estar e engajamento de stakeholders, chegando a um bom relacionamento com consumidores cada vez mais conscientes e informados.

Porém, entendemos que a efetividade de políticas de sustentabilidade, ação social e governança depende de mudanças no comportamento das pessoas. Como então tirar as políticas de ESG do papel e promover essas mudanças? Se queremos organizações verdadeiramente sustentáveis, responsáveis e éticas, precisamos levar em conta fatores cognitivos, contextuais e sociais.

As Ciências Comportamentais buscam estudar, entender e auxiliar no engajamento de comportamentos socialmente justos, sustentáveis e éticos. Ao lidar diretamente com o enfoque em melhorar as práticas nesses três pilares, o ESG lida diretamente com as Ciências Comportamentais e com a contínua aplicação de insights rumo a organizações mais transparentes, sustentáveis e responsáveis. Em um mundo em que a maioria das informações acerca de uma empresa estão a um clique de distância, a transparência se torna não só um requisito moral básico, como também um requisito mercadológico necessário para manter-se competitivo.

A CLOO atua em parceria com diferentes organizações, públicas e privadas, de forma a melhor compreender, engajar e mensurar comportamentos através da aplicação de nudges e insights comportamentais. O propósito é auxiliar no desenvolvimento de planos de ação e políticas de mudança comportamental rumo à melhoria da qualidade de vida dos indivíduos. Nossa parceria com a BRF, por exemplo, busca reduzir o desperdício de alimentos em refeitórios. Através da publicação de ‘‘Pessoas e Práticas: Como as Ciências Comportamentais podem promover a Diversidade e Inclusão nas Organizações?’’, criada sob orientação do BiiLab – Behavioral Insights for Inclusion Unit, buscamos entender fatores e vieses comportamentais que podem auxiliar na inclusão e na aplicação da diversidade em organizações efetivamente. O livro ‘‘Muitos: Como as Ciências Comportamentais podem tornar os programas de compliance anticorrupção mais efetivos?’’, por sua vez, tem foco em entender como as ciências comportamentais podem auxiliar no compliance anticorrupção.